(35) 3435-1611 (35) 98863-5371
Sindicato

Presidente da CNM/CUT quer assegurar agenda d

entrega menor

Presidente da CNM/CUT quer assegurar agenda de debates com o MDIC

 

Paulo Cayres esteve na posse do ministro Armando Monteiro Neto e entregou a ele documento do Macrossetor da Indústria da CUT que já vinha sendo discutido com o ex-titular da pasta.

 
O presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), Paulo Cayres, participou nesta terça-feira (7) da cerimônia de posse do novo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), Armando Monteiro Neto, em Brasília. Monteiro Neto assume o cargo antes ocupado por Mauro Borges, com quem o Macrossetor da Indústria da CUT (MSI) deu início a uma agenda de debates sobre política industrial e medidas de preservação do emprego no ramo. O MSI é composto pelas confederações cutistas de metalúrgicos, químicos, têxteis e trabalhadores na construção e na alimentação. Logo depois da cerimônia de ontem, Cayres entregou ao novo ministro a proposta do Programa de Proteção ao Emprego (PPE) que começava a ser discutida com o MDIC no ano passado. “Para nós, da CUT e do Macrossetor, não é a mudança de ministros que vai alterar nossa atuação em relação ao governo e as nossas propostas de política industrial com contrapartidas trabalhistas. Por isso, considero a presença na cerimônia de posse como uma maneira de reiterar esta postura e também para assegurar que a nossa agenda com o MDIC seja mantida”, assinalou o presidente da CNM/CUT. Cayres lembrou ainda que os trabalhadores da indústria brasileira passam por um momento delicado, com demissões em montadoras e em outros segmentos e que são necessárias medidas urgentes para impedir que o desemprego se alastre. "Não queremos esse fantasma sobre nossas cabeças. É preciso agir com rapidez para que o ramo industrial volte a crescer. Mas é preciso também chamar os empresários à sua responsabilidade, para que a corda não arrebente só do nosso lado", destacou o sindicalista. Armando Monteiro Neto é senador por Pernambuco e em seu discurso de posse defendeu reformas e lembrou que a indústria vem perdendo espaço na economia. Ele propôs um plano que contemple a desoneração de exportação e investimentos, facilitação de financiamento e outras medidas de melhorias tributárias. Monteiro defendeu também uma política de comércio exterior mais ativa, ampliando os acordos comerciais com parceiros estratégicos, sobretudo com o Mercosul, os Estados Unidos, a China e outros países da América do Sul. Na transmissão do cargo, Mauro Borges lembrou que o ministério instalou uma agenda positiva no primeiro mandato da presidenta Dilma Rousseff, por meio do Plano Brasil Maior, e de medidas como a desoneração da folha de pagamento, o Pronatec e o programa de concessões privadas – voltadas para rodovias, portos, ferrovias e aeroportos. Mas lembrou que esse resultado só será observado em médio e longo prazos. “Agora, temos o desafio de uma outra agenda para a indústria na iminência da retomada de um novo ciclo de crescimento mundial”, salientou. Macrossetor Ao longo de 2014, o Macrossetor da Indústria da CUT reuniu-se três vezes com Mauro Borges (duas vezes em Brasília e uma em Guarulhos, na Grande São Paulo). Nesses encontros, os dirigentes das cinco confederações nacionais cutistas de trabalhadores na indústria (CNM, CNQ, CNTV, Conticom e CONTAC) e da Secretaria Geral da CUT apresentaram ao titular do MDIC suas propostas para que as demandas dos trabalhadores fossem garantidas na formulação da política industrial brasileira. Deram início também à discussão sobre o PPE Fonte: CNM/CUT