(35) 3435-1611 (35) 98863-5371
Sindicato

CNM/CUT lança campanha publicitária contra a

Campanha tem várias peças publicitárias e será disseminada em todo o país pelos sindicatos e federações da categoria. CUT e outras entidades já aderiram ao projeto.

Crédito: Divulgação
-
Marca da campanha lançada nesta quarta
A Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) lançou, no início da tarde desta quarta-feira (25), campanha publicitária contra a reforma da Previdência Social do governo ilegítimo de Michel Temer.Com o slogan “Reforma da Previdência, sua aposentadoria acaba aqui”, a campanha – que será conduzida local e regionalmente pelos sindicatos e federações de metalúrgicos cutistas de todo o país – tem o objetivo de desmascarar a mentira da propaganda oficial do governo golpista sobre o assunto, conscientizando os trabalhadores sobre a necessidade de lutar contra a reforma e pressionar os deputados e senadores a votarem contra ela no Congresso Nacional.A campanha foi apresentada a mais de 100 dirigentes sindicais que participaram ontem e hoje de reunião ampliada da direção da Confederação para debater os impactos das reformas trabalhista e da Previdência sobre a classe trabalhadora e a sociedade. Além de cartazes e informativos, nesta primeira fase, há outras peças como propaganda de rádio e carro de som, outdoor, busdoor (para ônibus), materiais para redes sociais, entre outros. Ao longo das próximas semanas, novas peças publicitárias serão preparadas.“Esta campanha vai impulsionar as lutas dos metalúrgicos e da classe trabalhadora contra as reformas e os ataques do governo golpista aos direitos trabalhistas. A CNM/CUT está repassando todos os materiais para os sindicatos reproduzirem em suas bases. Eles subsidiarão as ações locais e as mobilizações em defesa da nossa classe”, assinalou Paulo Cayres, presidente da Confederação, dizendo ainda que a campanha também será disponibilizada para outras categorias e para os movimentos sociais.Cayres também falou da importância da reunião da entidade para subsidiar os sindicalistas com informações e argumentos para sua ação nas bases. “Temos que ir para o enfrentamento porque o que está em jogo é o futuro da classe trabalhadora e do Brasil. Temos que ir para as fábricas falar sobre política, sim! É nossa responsabilidade desmascarar o que está por trás do golpe e as mentiras que a Rede Globo dispara todos os dias contra o nosso projeto e as nossas lideranças”, destacou o presidente da CNM/CUT, ao justificar os objetivos da reunião.Ao longo dos dois dias, houve painéis sobre as reformas trabalhista e da Previdência e a conjuntura político-econômica do Brasil, do qual participaram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro da Previdência Carlos Gabas, o jornalista Luis Nassif, o líder da bancada do PT na Câmara dos Deputados, Carlos Zarattini, e o senador Lindbergh Farias (PT/RJ), líder da minoria no Senado (confira nos links ao final desta matéria).
Crédito: CNM/CUT
Agenda de mobilização e campanha foram aprovadas por unanimidade
Agenda de mobilização e campanha foram aprovadas por unanimidade
Agenda unificadaAo final do encontro, que aconteceu na sede da CNM/CUT, em São Bernardo do Campo (SP), os sindicalistas aprovaram por unanimidade uma agenda unificada de mobilização que prevê uma série de ações, entre elas assembleias e atos nas portas de fábrica, panfletagem, criação de Comitês contra a Reforma da Previdência e audiências públicas nas Câmaras Municipais. “Essas atividades começam já no dia 1º de fevereiro e acontecerão simultaneamente em todo o país. Queremos massificar a campanha e envolver não apenas a categoria metalúrgica na mobilização, mas também a sociedade, porque todos sairão perdendo com as regras que Temer quer impor às aposentadorias”, explicou Loricardo de Oliveira, secretário geral em exercício da CNM/CUT.
Crédito: CNM/CUT
Dirigentes da CNM, da CUT e do Macrossetor da Indústria
Dirigentes da CNM, da CUT e do Macrossetor da Indústria no encerramento da reunião
Pouco antes, no painel de encerramento do evento, o secretário de Administração e Finanças da CUT Nacional, Quintino Severo, elogiou a iniciativa da Confederação e anunciou que proporá à CUT Nacional a adesão à campanha publicitária apresentada para disseminar a proposta para toda a base da central, no campo e na cidade. A presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Vestuário, Cida Trajano, e o secretário geral da Confederação Nacional dos Químicos, Itamar Rangel, destacaram a importância da atividade e informaram também que vão levar para suas entidades a proposta de adesão à campanha lançada pelos metalúrgicos cutistas.(Fonte: Assessoria de Imprensa da CNM/CUT)