(35) 3435-1611 (35) 98863-5371
Sindicato

14 de novembro - Dia Nacional da Alfabetizaçã

AIG_diadia (1) menor

14 de novembro - Dia Nacional da Alfabetização

No dia 14 de novembro comemoramos o Dia Nacional da Alfabetização relembrando a importância do ensino para o desenvolvimento do indivíduo.

 

14 de novembro foi instituída com o  Dia Nacional da Alfabetização em homenagem à criação do antigo Ministério da Educação e Saúde Pública, em que um de seus objetivos era promover o fim do analfabetismo no país.

O Artigo 2º da Lei de Diretrizes e Bases que norteiam a educação nacional diz que a educação “tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”. Portanto, ser alfabetizado é direito de todos.

O ato de ler e escrever é fundamental para o desenvolvimento do indivíduo, porém, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o índice de analfabetismo no país ainda é muito elevado.

Um relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) aponta que o Brasil aparece em 8° lugar entre os países com maior número de analfabetos adultos.

De acordo com a mais recente Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2012 e divulgada em setembro de 2013, a taxa de analfabetismo de pessoas de 15 anos ou mais foi estimada em 8,7%, o que corresponde a 13,2 milhões de analfabetos no país.

Algumas das razões  deste quadro está a falta de infraestrutura das instituições de ensino (principalmente as públicas) e à falta de hábito e interesse de leitura do brasileiro.

Segundo pesquisas do Ministério da Educação, no Brasil são 16 milhões de analfabetos, pessoas que não conseguem sequer escrever um bilhete. Já os que não chegaram a concluir a 4ª série do ensino fundamental I, somam 33 milhões, concentrados em 50% no Norte e Nordeste do país. No Brasil ainda existe a concepção de que os menos favorecidos não têm condições de aprender, devendo aceitar que são a mão de obra pesada e barata do país, estando às margens da nossa pirâmide social. Convencidos de que não adianta continuar na escola muitos estudantes se afastam da mesma por pura falta de motivação, por não acreditarem que são capazes de vencer. O medo domina as sensações prazerosas do aprender, pois repetências anteriores, exposições diante dos colegas, humilhações dentro da sala de aula coíbem o sujeito, demonstrando que ele não é capaz. Para melhorar essa visão, a escola deve manter uma política educacional voltada para atender a diversidade, através de planos de ação que valorizem as habilidades e potencialidades de cada um. Seria mesmo identificar o que cada um tem de bom, em quê cada qual pode colaborar com as experiências e crescimento do grupo.

Os municípios de cada cidade oferecem algum tipo de alfabetização e educação para jovens e adultos. Procure a Secretaria de Educação de seu município e se informe.

Para os pais que desejam dinamizar ainda mais a alfabetização e aprendizagem de seus filhos, segue um link  com materiais interessantes: http://educarparacrescer.abril.com.br/