(35) 3435-1611 (35) 98863-5371
Notícias
Redação CUT

Governo autoriza mais 57 agrotóxicos e total de pesticidas no país sobe para 382

Ministério da Agricultura divulgou nesta quinta-feira (3) a liberação de mais 57 agrotóxicos e total de pesticidas aprovados pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL) chega a 382 em apenas nove meses de mandato. É o maior nível de registro de defensivos agrícolas da série histórica, iniciada em 2005. No mesmo período de 2018, até então o maior nível de liberação, foram 314 registros.

Entre os novos agrotóxicos liberados, se destaca o que tem o ingrediente ativo dinotefuram, que poderá ser usado nas lavouras para combate a insetos sugadores como percevejos e mosca branca.

Detalhe: Os produtores rurais que usarem este produto terão restrições quanto a dose máxima permitida e proibição de uso no período de floração dos cultivos, restrições estabelecidas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a proteção de insetos polinizadores.

Segundo o governo, dos 382 agrotóxicos registrados neste ano, 214 são produtos técnicos, ou seja, destinados exclusivamente para o uso industrial. Outros 168 são produtos formulados, aqueles que já estão prontos para serem adquiridos pelos produtores rurais mediante a recomendação de um engenheiro agrônomo. E  24 são produtos biológicos e/ou orgânicos.

O que explica o ritmo acelerado na liberação de agrotóxicos, de acordo com o governo, são as medidas de desburocratização que foram adotadas desde 2015.

Para ambientalistas, no entanto, a aceleração do ritmo de aprovações é uma forma de o governo colocar em prática tópicos do polêmico projeto de lei 6.299/02, que ficou conhecido como "pacote do veneno", que ainda está em discussão na Câmara dos Deputados.

Pesquisa da ONG Suíça Public Eye revela que 70% dos agrotóxicos utilizados no Brasil são altamente perigosos – 44% são proibidos na União Europeia por apresentarem riscos à saúde e ao meio ambiente. Confira aqui a íntegra da matéria. https://www.cut.org.br/noticias/70-dos-agrotoxicos-usados-no-brasil-sao-altamente-perigosos-21a9